Bons Sons | Dia 4

Há festivais de verão, e depois há o Bons Sons, que vai ter direito a um artigo escrito, porque há festivais que merecem todo o destaque do mundo. Neste ultimo dia de bons sons, a festa da música fez-se na aldeia como se fosse o primeiro dia, com o mesmo entusiasmo e com maior vontade de ficar do que de partir. É com o acampamento que começamos, porque esta foi a nossa casa durante alguns dias, e foi nesta grande casa que encontrámos novas familias e fizemos novos amigos.

Tó Trips trouxe o seu imaginário alternativo a Cem Soldos. O publico ajudou com a coordenação do músico que o acompanha, com palmas, sorrisos e música que se sente até de olhos fechados.

Retimbrar foi a celebração da harmonia e felicidade do público. Peixe foi convidado especial da banda e este foi possivelmente o concerto que o público nunca mais vai esquecer, deram-se mãos, fizeram-se rodas e foi-se feliz ao som de Retimbrar.

Peixe:avião traz sempre um ambiente mistico com a sua meia luz e vozes suaves que se prolongaram pelo recinto. A música ouve-se como se entrasse no corpo e não saisse mais.

Camané deu voz ao fado na ultima noite do festival, e se o publico mais jovem não arredou pé, foi quando Camané cantou Ouvi Dizer de Ornatos Violeta que se levantaram as cabeças e se cantou bem alto.

Long Way to Alaska​ foi a ultima banda a tocar no Palco Eira, preparando toda a gente para a despedida. Ainda assim foi um dos espetáculos mais feliz, com danças, um comboio humano e abraços, muitos abraços.

Free Web Hosting