Castello Branco apresenta Sintoma em Espinho

Cantor e compositor, Castello Branco esteve de novo em Portugal para apresentar “Sintoma”, um álbum que se revela suave e doce na sua génese, que trata do que se sente, desprendido do físico e tingido de belas mensagens fomentadas pela alegria e delicadeza.
O autor surge em 2013 com “Serviço”, salientando o seu género folk brasileiro e evocando sorrisos no que poderia ser o pior dos dias, porque se o bem existe, é cantado assim. Seria de encantar um encontro quase divino, entre o querido Devendra Banhart e Castello Branco, uma reprodução do que é júbilo e como a música o poderia descrever.

Foi então no Auditório de Espinho, na passada Sexta-feira, perto do mar e junto ao que parecia ser o céu, que o artista se foi “despindo” perante a plateia, abrindo o concerto com “Peso no Coração”, música que nos conta que o amor, só é amor quando desprendido, sem que sejamos apropriação uns dos outros. Foi também contando e até confessando algumas das suas ideias e sensações.

Criado num mosteiro, exalta singelos sussurros junto das suas sonoridade únicas, acompanhado pelo baixo, Thiago Trindade e pela reminiscente flauta transversal de Ico dos Anjos.
Abriu-se para quem o foi ver e ouvir, fazendo soltar sorrisos e sintomas de felicidade, enfatizando liberdade, aproximou-se do fim do espetáculo como se fosse o início da sua história, cantando o tema “Céu da Boca”.

Foi uma noite formosa de quase Verão, iluminada por um trabalho quente e carinhoso, desprovido do que não importa, esperamos que Castello Branco volte e seja novamente o farol de uma noite bonita.

Texto e Fotografias por Joana Sousa

Free Web Hosting