10ª Edição do Festival Bons Sons | Apresentação do Programa [Foto-Reportagem]

Já vamos a meio de abril, e esta é talvez a melhor altura para dar um salto até agosto e falar de tudo o que podemos encontrar de 8 a 11 na aldeia de Cem Soldos no BONS SONS. Um festival em constante crescimento, uma aldeia, uma comunidade unida com o objetivo mostrar ao publico a muito conhecida frase “VEM VIVER A ALDEIA” adotada desde 2014. Sem dúvida uma aldeia que recebe e acolhe todos os que fazem questão de a visitar e fazer parte da história do festival. Temos o privilégio de termos visto tudo isto crescer. Um festival capaz de unir pessoas e unir bandas a uma aldeia, é essa união que vai ser comemorada nesta edição. Este é o resumo do dia de ontem aquando a apresentação do programa à imprensa, onde se valorizou como sempre a Cultura, Tradição, Respeito pelo Espaço e a Música presenteada por Mano a Mano e Sallim (em imagens na galeria no fundo do artigo).

Luis Ferreira apresenta à Imprensa o recinto do Bons Sons 2019

10 edições, 13 anos, 1 aldeia em manifesto esta é a aposta desta edição. “Menos pessoas, mais palcos, mais aldeia” A aldeia apresenta-se em manifesto, com o objetivo de dar a conhecer a união de um festival e uma aldeia. A comemoração dos 13 anos e 10 edições é assinalada de 3 formas:

  • Concerto de abertura, com a Orquestra Filarmónica Gafanhense, que irá compor e interpretar 10 temas, um por cada edição do BONS SONS, sendo escolhido um tema de um músico ou de uma banda de cada edição.
  • Atuação de 13 bandas que já estiveram no BONS SONS e fazem parte da história do festival. Uma banda e seis duplas, que se juntam e realizam seis concertos especiais, divididos por três palcos. Especificamente para esta edição comemorativa do BONS SONS.
  • E por último, mas sempre em modo de comemoração, o festival encerra com uma festa cheia de surpresas e convidados, com curadoria de Moullinex.

Diabo na Cruz / First Breath After Coma + Noiserv / Glockenwise + JP Simões / Joana Espadinha + Benjamim / Lodo + Peixe
Sensible Soccers + Tiago Sami Pereira / Sopa de Pedra + Joana Gama

 

Alinhamento e Artistas – Festival Bons Sons 2019

Este ano há novidades no que toca aos palcos existentes: renascerá o antigo palco eira agora intitulado de António Variações, o Palco Zeca Afonso é também um palco para gente sentada, um local para ver concertos de uma forma mais descontraída, tirando partido do anfiteatro natural. O palco Giacometti agora dispõe do apoio da INATEL, destinado a cantautores e instrumentistas com narrativas e vivências mais urbanas. O lagar de azeita dará lugar ao palco MúsicaPortuguesa A Gostar Dela Própria (MPAGDP) que continuará a mostrar a rica diversidade de música feita em Portugal e a ver o mundo como um palco, passando o palco da igreja a ser chamado de Palco Carlos Paredes.

A verdade é que mudanças à parte, é logo na apresentação à Imprensa que se percebe que o mais importante é que nada mudou e que podemos assegurar que a essência do Bons Sons se mantem. Com toda a atenção à Natureza, ao Campo, à Cultura, à Cidadania Participativa, aos mais velhos, ao Ensino, à Sustentabilidade, à Música!
Vemo-nos em breve, BONS SONS!